Os empreendedores têm muitas dúvidas quando o assunto é finança empresarial. E, uma das primeiras que surgem assim que se começa um negócio, é sobre abrir uma conta exclusiva para a empresa ou manter a finança empresarial junto com sua conta pessoal.

Já comentamos aqui no blog em outros artigos que é essencial separá-las, pois mantê-las juntas pode causar grandes confusões de caixa, além de gerar problemas fiscais. Mas se você quer saber mais sobre o assunto, este artigo é para você. Acompanhe!

Quais são os benefícios em separar a finança empresarial da finança pessoal?

Misturar as finanças da empresa com as finanças pessoais é um erro muito comum dos empreendedores que estão começando seus negócios. Mas é algo que deve ser evitado de qualquer maneira, pois pode causar sérias complicações financeiras ou até mesmo a falência de muitos negócios.

Veja a seguir os principais benefícios em separar a finança empresarial da finança pessoal:

  • Evitar problemas fiscais ou tributários: quando está tudo misturado fica praticamente impossível de discriminar o que vai para seu imposto de renda e o que segue para a tributação da empresa. Os seus gastos pessoais não estarão de acordo com a sua receita, podendo lhe trazer problemas com o Fisco e será complicado comprovar o faturamento do seu negócio para os órgãos de fiscalização.
  • Facilitar a escrituração do negócio: com todas as despesas e receitas misturadas, fica difícil fazer a escrituração contábil da empresa de forma correta.
  • Entender claramente a situação financeira da empresa: colocar gastos pessoais na conta da empresa fará com que você jamais tenha a dimensão real da saúde financeira de seu negócio, além de cometer um erro do ponto de vista legal e fiscal.
  • Levantar o poder de crédito da pessoa jurídica: com uma conta empresarial, você dá oportunidade para que sua empresa construa uma boa reputação frente ao banco e, assim, obter acesso mais fácil aos  financiamentos e empréstimos.
  • Evitar a desconsideração da personalidade jurídica: no caso de uma sociedade de responsabilidade limitada, você poderá ser responsabilizado pelas dívidas da empresa se não houver uma distinção clara entre o seu negócio e suas despesas pessoais. No âmbito legal, isso se chama desconsideração da personalidade jurídica.

Como separar as duas finanças?

Agora que você já viu alguns dos principais benefícios em manter as contas separadas, deve estar se perguntando como fazer isso. Pois bem, saiba que não é nada complicado. Bastam algumas medidas simples, tais como:

1. Utilize contas separadas

Alguns empresários conseguem administrar as finanças pessoais e empresariais de forma correta utilizando apenas uma conta bancária, porém esses empresários são minoria. Então, o primeiro passo é ter contas bancárias separadas: uma para a finança pessoal e outra para finança empresarial.

2. Faça um bom controle financeiro

Após separar as contas bancárias, o próximo passo é identificar se o seu negócio é lucrativo ou não. Por isso é essencial manter um controle total das entradas e saídas da empresa. Tudo deve ser anotado diariamente, de preferência com a ajuda de um software de gestão financeira.

No mais, você pode ampliar essa prática e também para as suas finanças pessoais, mantendo assim sua vida financeira mais organizada e completamente separada da  empresa.

3. Determine um salário para você

Você deve determinar um valor fixo de retirada de capital da empresa para cobrir seus gastos pessoais, como se fosse um salário.

Esse salário, conhecido como pró-labore, deve ser justo e compatível com a realidade financeira da empresa. O empreendedor não deve acreditar que pode retirar o valor que quiser do caixa da empresa, isso é muito prejudicial e pode até mesmo comprometer o negócio.

4. Faça uma gestão financeira pessoal

Não basta apenas ter responsabilidade com as finanças da empresa, é preciso também ser responsável com suas finanças pessoais.

Quanto mais responsável e organizado você for com suas despesas pessoais, menores são as chances de você acabar misturando os gastos da empresa com elas. Dessa forma, podemos dizer que a gestão financeira pessoal reflete em sua gestão empresarial e vice-versa.

5. Tenha uma reserva

Um empreendedor experiente sabe que são comuns as variações e instabilidades financeiras do mercado. Por isso, ele não pode contar apenas com o valor de faturamento mensal, é preciso ter uma reserva para garantir a sobrevivência do negócio em casos de imprevistos.

E com a vida pessoal é a mesma coisa. É muito importante ter uma reserva que garanta o seu sustento se os negócios entrarem em crise e não for possível fazer a retirada do pró-labore por um tempo.

6. Aposte em planos empresariais

Você pode economizar com taxas e tarifas ao optar por planos empresariais para alguns serviços como seguros, assistência médica, telefonia, internet, etc. Esses planos para empresas costumam ser bem mais atraentes do que aqueles voltados para o consumidor final.

E isso vale também para a compra de automóveis. As concessionárias podem oferecer descontos bem mais generosos aos chamados “veículos de frota”, do que aqueles concedidos aos veículos comprados por pessoas físicas.

Por isso, evite contratar serviços ou adquirir bens para e empresa em seu nome, isso além de gerar confusão pode fazer com que você deixe de economizar com alguns itens.

Como gerir corretamente o dinheiro que entra na empresa?

Você já sabe, mas não custa repetir: é fundamental ter uma conta empresarial para separar as finanças da empresa das finanças pessoais. A partir disso, tudo fica mais simples.

Outra dica é contar com a ajuda de um profissional, ou seja, um contador de confiança. Ele poderá te orientar na gestão da conta empresarial, evitando a mistura das finanças e é a pessoa certa para informar o que pode ou não ser feito, em matéria legal, no momento de destinar e gerir os recursos da empresa.

Vale também conversar com o seu gerente do banco na hora de abrir a conta empresarial. As instituições financeiras costumam oferecer diferentes produtos e recursos para as contas de pessoa jurídica.

Outra medida que precisa ser tomada é a implantação de uma rotina administrativa para atualizar todos os números referentes aos números da sua conta empresarial e também da sua conta pessoal em lugares diferentes. Só assim, você conseguirá perceber mais claramente o valor das receitas e o quanto é gasto para cada situação do seu negócio e da sua vida pessoal.

E claro, nunca deixe de se informar e estudar sobre gestão financeira, afinal todo conhecimento é bem vindo.

Conclusão

Finança pessoal e finança empresarial precisam estar separadas. Esse é o primeiro grande passo para garantir a saúde do seu negócio. Não deixe para depois, isso pode mudar a sua vida e a da sua empresa para melhor.

 

Fonte: bcntreinamentos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *